terça-feira, 21 de julho de 2015

A REGRA DE TRÊS QUE O VATICANO E A ONU ESTÃO USANDO SOBRE AS "MUDANÇAS CLIMÁTICAS"



AS MUDANÇAS CLIMÁTICAS É O TEMA DO ENCONTRO SOBRE O DESENVOLVIMENTO QUE ACONTECE HOJE (21/07) ONDE O VATICANO MAIS UMA VEZ USA O AQUECIMENTO GLOBAL COMO DESCULPA PARA REUNIR VÁRIAS ENTIDADES POLITICAS, ATIVISTAS E GOVERNAMENTAIS.

SABEMOS QUE AS  MUDANÇAS CLIMÁTICAS SÃO MANIPULADAS PELA ELITE DE DIVERSAS FORMAS COM O USO DE ARMAS COMO A HAARP E CHEMTRAILS, E ALEM DISSO BOA PARTE DAS EMISSÕES DE CO² VEM DAS GRANDES INDUSTRIAS COMANDADAS POR ELES.

ENTÃO A QUAL CONCLUSÃO PODEMOS CHEGAR COM ESSA INSISTÊNCIA DO VATICANO E A ONU EM USAR ESSE TEMA "MUDANÇAS CLIMÁTICAS" PARA REUNIR DIVERSAS ENTIDADES POLITICAS, ATIVISTA E GOVERNAMENTAIS EM PROL DESSE ASSUNTO?

SERIA MAIS UMA REGRA DE TRÊS PARA IMPLEMENTAÇÃO DE UMA ETAPA DE SUA AGENDA COMO O IMPOSTO SOBRE O AR QUE RESPIRAMOS (imposto sobre o carbono o CO²)?

OU ELES ESTÃO COM A INTENCIONANDO USAR AS MUDANÇAS CLIMÁTICAS E O AQUECIMENTO GLOBAL PARA ESTABELECER DE VEZ A NOVA ORDEM MUNDIAL NO MUNDO?



A SEGUIR ALGUMAS MATÉRIAS IMPORTANTES RELACIONADAS AO ASSUNTO QUE DEVERIAM LER:



SÓ PARA LEMBRAR DE COMO FUNCIONA A REGRA DE TRÊS.

1º ELES CRIAM O PROBLEMA: (O QUE ELES TEM FEITO DURANTE TODO ESSE TEMPO COM SUAS FABRICA E USINAS EMITINDO CO² NA ATMOSFERA E COMO O USO DA HAARP E OS RASTROS QUÍMICOS CHEMTRAILS).

2º APRESENTAM O PROBLEMAS AO POVO: ( É O QUE EXATAMENTE A ONU E O VATICANO ESTÃO FAZENDO REUNINDO PUBLICAMENTE ENTIDADES DO MUNDO TODO PARA ENCONTRA UMA FORMA DE RESOLVER O PROBLEMA QUE ELES MESMO CRIARAM).

3º FAZEM O POVO PEDIR POR UMA SOLUÇÃO OU EM MUITOS CASOS ELES MESMO APRESENTAM A SOLUÇÃO PARA O POVO: (O QUE NA MINHA OPINIÃO NESSE CASO SERÁ O IMPOSTO SOBRE O CO² OU UMA DESCULPA PARA IMPLEMENTAÇÃO DA NOVA ORDEM)

ENTÃO VAMOS ASSISTIR MAIS CAPITULO DESSA NOVELA "MUDANÇAS CLIMÁTICAS" QUE A ONU E O VATICANO PROTAGONIZAM NESTE MOMENTO. VAMOS VER NA INTEGRA A MATÉRIA QUE SAIU NO G1.GLOBO.COM HOJE (21/07). SEGUE ABAIXO A MATÉRIA.



Prefeitos brasileiros vão a encontro sobre desenvolvimento no Vaticano

Fernando Haddad e outros mandatários foram à Santa Sé para evento. Tema do encontro é o desenvolvimento sustentável das cidades.




Diversos prefeitos brasileiros, entre eles o de São Paulo, Fernando Haddad (PT), participavam nesta terça-feira (21) de uma audiência sobre o desenvolvimento sustentável das cidades no Vaticano. O tema sustentabilidade foi um dos pilares da encíclica [carta circular] do Papa divulgada no mês de junho.

Haddad falou sobre sustentabilidade e desenvolvimento humano por volta das 11h30 locais (6h30 de Brasília). Além dele, também foram ao Vaticano o presidente da Frente Nacional dos Prefeitos (FNP) Marcio Lacerda, de Belo Horizonte, e ACM Neto, de Salvador, entre outros.

Prefeitos de outras cidades do mundo também estavam presentes, como o de Nova York, Bill de Blasio.

Está previsto um encontro da delegação brasileira com o Papa Francisco, no qual eles entregarão uma carta ao pontífice. (leia na íntegra abaixo).

"A escravidão ainda existe em nossas cidades, incluindo aqui em Roma", disse o prefeito da capital italiana Ignazio Marino.

Ex-cirurgião, Marino denunciou o tráfico de órgãos, que ele garante que deve crescer, dada a demanda crescente. Cerca de 10.000 operações são realizadas a cada ano para extrair órgãos para o benefício de pacientes ricos em todo o mundo.

Estas operações ilegais são realizadas principalmente na China, Índia e Paquistão, assegurou.

Mas, advertiu, "a África é a nova fronteira" deste tráfico internacional. O prefeito de Roma também advertiu contra a tentação de legalizar esse tráfico, permitindo a doação de órgãos em troca de remuneração, como, segundo ele, estuda os Estados Unidos.

A conferência, organizada no Vaticano, também ouviu o testemunho de duas jovens mexicanas, Karla Jacinto e Ana Laura Perez Jaimes, ambas feitas "escravas" durante anos em seu país.

Karla foi forçada a se prostituir a partir dos 12 anos, presa em um bordel mexicano onde fez as contas de seus "clientes" até sua libertação aos 16 anos: mais de 42.000.

Ana Laura relatou, por sua vez, como viveu por cinco anos presa em celas e, por vezes, forçada a trabalhar 20 horas por dia, até que conseguiu escapar aos 23 anos.

"Não é possível que isso continue a existis, não é possível que nós permanecemos cegos" para lidar com esta situação, declarou.

"Temos que mudar nosso estilo de vida", defendeu Anne Hidalgo, prefeita de Paris, pedindo a implementação de uma "economia de menor impacto", privilegiando, por exemplo, a reciclagem.

Hidalgo agradeceu o convite do Papa, que permitiu comparar as experiências de dezenas de prefeitos em todo o mundo sobre temas chave.


Carta de prefeitos brasileiros


A carta diz que os governos locais - as Prefeituras - também devem colaborar para reverter a crise climática global e cita metas estabelecidas para desatrelar o desenvolvimento das cidades do aumento de emissões de gases de efeito estufa.

O texto menciona que as mudanças climáticas pioram a qualidade de vida, especialmente da população mais carente, e que, para superar a vulnerabilidade dos mais pobres, adota políticas públicas de inclusão social.

Os prefeitos ainda pedem que a Organização das Nações Unidas (ONU) reconheça a importância dos governos locais na sustentabilidade do mundo e desenvolvimento humano.

Fernando Haddad foi convidado para um seminário com 15 prefeitos de todo o mundo e o governador da Califórnia no Vaticano nos dias 21 e 22 deste mês. O convite foi assinado pelo monsenhor Marcelo Sanches Sorondo, responsável pelo sacro Colégio.

Leia a carta que será entregue ao Papa:

“Declaração dos prefeitos brasileiros 
A dificuldade na construção de um acordo internacional entre os chefes de Estado que contemple diretrizes mais audaciosas e efetivas no enfrentamento às mudanças climáticas já tem reflexos na piora da qualidade de vida das pessoas, em especial dos mais pobres. Essa situação coloca em risco os avanços conquistados no enfrentamento da miséria e das desigualdades nas ultimas décadas, refletindo-se no dia-a-dia das cidades que governamos.
Em sintonia com a Encíclica “Laudato Si”, reconhecemos a urgência de atender as necessidades dos mais pobres. Para enfrentar esse injusto cenário de desigualdades os 5.570 prefeitos brasileiros estão empreendendo esforços para que os excluídos possam superar a situação de vulnerabilidade. São políticas públicas estratégicas de inclusão social abrangendo educação, saúde, habitação, saneamento, transporte público, geração de renda, emprego, empreendedorismo e cooperativismo.
Reconhecemos também a responsabilidade dos governos locais em contribuir com a reversão da atual crise climática global. Há prefeitos brasileiros adotando metas para desatrelar o desenvolvimento das cidades do aumento de emissões de Gases de Efeito Estufa em seus territórios e nos padrões de produção e consumo. E, sabendo que esses esforços iniciais ainda são insuficientes, trabalharemos para incorporar a visão do desenvolvimento urbano de baixo carbono e resiliente às mudanças climáticas nos planejamentos das cidades brasileiras.
Cientes de que as mudanças climáticas são um desafio global, pleiteamos que os governos nacionais, e em especial o governo brasileiro, envide esforços na construção de acordos na cúpula do clima em Paris no final deste ano (COP21) que mantenham o aquecimento global induzido pelo homem abaixo de 2ºC, e tenham como objetivo avançar para níveis mais seguros.
Globalmente, como estratégia para enfrentar esse cenário desastroso, propomos a transferência de recursos e tecnologias dos países desenvolvidos aos países em desenvolvimento, em especial aos mais pobres, e diretamente às cidades, visto que os primeiros são os que historicamente mais consomem recursos naturais e contribuem para o agravamento das mudanças climáticas.
Diante disso, reivindicamos ainda o reconhecimento, pela Organização das Nações Unidas (ONU), dos governos locais como atores fundamentais na promoção da sustentabilidade global e do desenvolvimento humano. 

Roma, 20 de Julho de 2015 
Marcio Lacerda – Prefeito de Belo Horizonte (MG) e Presidente da FNP
Fernando Haddad – Prefeito de São Paulo (SP)
Eduardo Paes – Prefeito do Rio de Janeiro (RJ)
ACM Neto – Prefeito de Salvador (BA)
Gustavo Fruet – Prefeito de Curitiba (PR)
José Fortunati - Porto Alegre (RS)
Paulo Garcia – Prefeito de Goiânia (GO)”

VIA: G1.GLOBO.COM 

SERÁ MAIS UM CICLO DA AGENDA GLOBAL QUE ESTA PARA SE CUMPRIR? OU UMA SIMPLES COINCIDÊNCIA DE FATOS? SEJA QUAL FOR A VERDADE ESTEJAM PREPARADOS TODOS ESSES ACONTECIMENTOS ENVOLVENDO POTENCIAS MUNDIAIS PODEM ESTAR OCULTANDO ALGO MAIOR!

A CRISE NA GRÉCIA POR EXEMPLO, PODE DESENCADEAR UMA CATÁSTROFE ECONÔMICA EM VÁRIOS PAÍSES INCLUSIVE AQUI NO BRASIL E PODE TAMBÉM SER UMA BRECHA PARA IMPLEMENTAÇÃO DA MOEDA UNICA MUNDIAL.

O MUNDO É REGIDO POR TRÊS POTENCIAS DE CONTROLE DE MASSA:

ECONÔMICA(OU MOEDA)
POLÍTICA(OU GOVERNO) E 
RELIGIOSA

A INTENÇÃO DELES É DE UNIFICAR ESSAS POTENCIAS  DE CONTROLE DE MASSA,

EM UMA SÓ MOEDA(MOEDA ÚNICA MUNDIAL), 

UM SÓ GOVERNO(GOVERNO ÚNICO MUNDIAL) E 

UMA ÚNICA RELIGIÃO(UM ÚNICO DEUS OU ÚNICA ADORAÇÃO)

UM GRANDE ABRAÇO A TODOS OS NOSSOS LEITORES E ESTEJAM ATENTOS E PREPARADOS ESTAMOS PRESTE A ENTRAR EM UMA CRISE ECONÔMICA AQUI NO BRASIL É O QUE ESPECIALISTAS FINANCEIROS AFIRMAM, AUMENTO DE IMPOSTOS E O DESEMPREGO SERÃO OS PRIMEIROS INDÍCIOS DESSA CRISE ENTÃO O QUANTO ANTES PODEMOS NOS PREPARAR ESTOCANDO ALIMENTOS NUNCA É DE MAIS TER ALIMENTOS EM CASA, PENSE NISSO COMO UMA APÓLICE DE SEGUROS CONTRA UMA CRISE ECONÔMICA OU ATÉ MESMO SE FICAR DESEMPREGADO(A), NÃO SERIA BOM EM SABER QUE VOCÊ E SEUS ENTES QUERIDOS NÃO VÃO PASSAR POR NECESSIDADES EM UMA SITUAÇÃO COMO ESSA. BEM FICA A DICA!

ESPERO QUE TENHAM GOSTADO DO POST COMPARTILHEM COM SEUS AMIGOS. AVISEM A TODOS!

SEJA UM MEMBRO DE NOSSO BLOG SE INSCREVAM AI DO LADO, TAMBÉM TEM O NOSSO CANAL NO YOUTUBE, NOSSA FANPAGE DO FACEBOOK E NOSSA PÁGINA NO GOOGLE PLUS LINKS PARA INSCRIÇÃO NA LATERAL DO BLOG

Nenhum comentário: